A esperança surge em Cleveland

Foram 635 dias de sofrimento e angústia. O Cleveland Browns não sabia o que era vencer há 19 partidas. Algo inacreditável e até inadmissível, podemos dizer.

Mas acabou.

E a vitória veio com aquela luz no fim do túnel. Luz de dias melhores, do sonhado futuro. Da retomada do que era o Cleveland Browns, uma das equipes mais tradicionais da história da NFL.

A esperança tem nome, se chama Baker Mayfield.

O novato ex-Oklahoma entrou em campo no final do segundo período após lesão do titular Tyrod Taylor, que estava sofrendo e muito até então com muita pressão e sacks.

Totalmente ineficiente, o camisa 5 foi o primeiro quarterback desde Joe Flacco, em 2011, a lançar para menos de 20 jardas em pelo menos 14 tentativas, de acordo com o twitter ESPN Stats & Info. Número assustador, especialmente se comparado com as 47 jardas nas primeiras quatro tentativas do novato Mayfield, que se juntou a John Elway, Andrew Luck, Matthew Stafford e Jeff George como os únicos QBs selecionados na primeira escolha geral do draft a promover uma virada após estar perdendo por 14 pontos ou mais em sua estreia.

Apesar da boa performance, Hue Jackson não garantiu a permanência de Baker como QB1 dos Browns. Também pudera, este é um mundo novo para o head coach dos Browns, que conquistou apenas sua segunda vitória em 35 jogos. Ele precisa respirar e entender tudo que aconteceu. Falou que precisa ver o vídeo da partida para tomar uma decisão e é o caminho mais sensato a ser tomado. Não é o momento para se precipitar, especialmente alguém que tem um alvo nas costas como Hue.

Tyrod Taylor é aquele quarterback que está em uma zona de conforto onde não irá te garantir vitórias nem derrotas. Ele administrará o resultado, e por muitas vezes defendi que isso era o que o Browns precisava. A realidade é que o 0-1-1 ficou muito perto de ser 2-0, e é um cenário por si só já muito mais promissor do que existia anteriormente, mas Baker trouxe um aspecto novo, trouxe esperança e motivação. E é difícil lutar contra a maré. A tendência natural é que o camisa 6 assuma o posto de titular mais cedo do que se pensava e de lá não saia pelo menos por um tempo. Será que teremos um novo xerife em Cleveland pós-Lebron? Ainda é cedo para falar, mas o momento para o torcedor de Cleveland é curtir. A segunda maior seca de vitórias desde a fusão NFL-AFL acabou. E bons dias certamente virão. Os Browns merecem.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *