Power Rankings – Semana 9 – A volta dos que não foram

Após um hiato não planejado voltamos (as posições entre parenteses são as da última vez que eu pensei nelas, mas que não foram publicadas) ao power ranking com mais da metade da temporada jogada e todos nós com um conhecimento sólido do que cada time realmente é. Vamos ao que interessa começando com…

1 – (1) Los Angeles Rams – 8-1

A primeira derrota veio, mas isso não muda o status dos Rams na minha opinião. A defesa preocupa, e deveria, ainda mais com Marcus Peters passando vergonha, mas existem bons sinais para o futuro. Dante Fowler, recém chegado de troca, já impactou a partida, Aqib Talib eventualmente vai voltar e Wade Phillips sabe o que faz. Ah, e Aaron Donald segue um monstro. De cabo a rabo LA ainda é o time mais completo dessa lista e por isso segue na primeira posição. 

2 –(2) Kansas City Chiefs – 8-1  

Mais uma vitória tranquila contra um adversário inferior e Patrick Mahomes segue uma máquina liderando a NFL em jardas aéreas e passes para touchdown enquanto a defesa é questionável nos melhores dias. Até o final da temporada os Chiefs enfrentam apenas dois rivais com campanhas vitoriosas: Rams e Chargers. O caminho para o Super Bowl na conferência americana provavelmente passará por Kansas City e isso pode fazer toda a diferença.

3 – (3) New Orleans Saints – 7-1

Vitória mais importante e convincente dos Saints na temporada. O ataque foi avassalador com Brees, Thomas e Kamara e a defesa fez o mínimo necessário para que o tiroteio não fosse para o outro lado. A única coisa que provavelmente vai tirar a seed #1 da NFC de New Orleans ao final da temporada é uma NFC Sul complicadíssima.

4 – (4) New England Patriots – 7-2

Do G4 da NFL New England é o time que menos me convence pelo futebol americano apresentando mas o time simplesmente segue acumulando vitórias e encontrando maneiras de tirar proveito de seus jogadores, Cordarrelle Patterson de running back é mais um em uma longa lista de truques que Belichick tira da manga e dão certo. Acho seguro dizer que a dinastia ainda não acabou. 

5 – (5) Los Angeles Chargers – 6-2

Foi com mais emoção do que deveria ter sido e mais problemas na posição de kicker para os Chargers mas a vitória veio contra os Seahawks e o time segue na cola dos Chiefs com Raiders, Broncos e Cardinals nas próximas semanas, uma sequência que pode essencialmente garantir os Chargers em janeiro. O ataque segue eficiente com um renovado Rivers e seu ótimo grupo de recebedores e Melvin Gordon discretamente lutando pelo posto de melhor RB da NFL, mas o segredo para o time seguindo em frente será o eventual retorno de Joey Bosa, que pode dar a defesa alguém capaz de finalizar jogos. 

6 – (7) Carolina Panthers – 6-2

Não olhe agora mas Norv Turner parece ter resolvido o ataque dos Panthers que, nas últimas três partidas, se tornou um dos mais divertidos da NFL e cometeu exatamente zero turnovers. Ótimo para Cam Newton, que vive sua melhor fase e faz sua melhor temporada no geral desde 2015, quando foi MVP da liga. A NFC Sul é obviamente muito complicada, mas é difícil imaginar esse time fora dos playoffs. 

7 – (9) Pittsburgh Steelers – 5-2-1 

Quatro vitórias seguidas (três em cima de rivais de divisão) e um James Conner em chamas e é difícil lembrar do setembro caótico e da ausência de Le’Veon Bell em Pittsburgh. Destaque para a tão criticada defesa preta e amarela que, nas últimas três partidas, não deixou os ataques adversários conquistarem mais de 275 jardas e não tomou mais de 21 pontos desde a derrota para os Ravens na semana 4. Vamos ver se essa sequência quente da equipe segue até a época que mais importa. 

8 – (6) Minnesota Vikings – 5-3-1

Não tem sido necessariamente bonito e os Vikings, na minha opinião, estão tranquilamente um ou dois passos atrás das sete equipes a frente deles na lista, mas o time tem se equilibrado, e a performance de 10 sacks contra os Lions pode ser uma virada de chave daquelas para a defesa. Ofensivamente, a linha ofensiva e Kirk Cousins ainda limitam um pouco o ataque, mas ser equilibrado dentro de uma NFC Norte meio bagunçada deve ser o suficiente. O gradual retorno de Dalvin Cook pode ser a chave para os vikes seguindo em frente. 

9 – (11) Cincinnati Bengals – 5-3 

A folga veio em um momento crucial para os Bengals. As partidas contra Saints e Ravens serão decisivas para o time. 1-1 significa se manter firme pela briga para os playoffs, independente de como venha a vaga. 0-2 provavelmente faz o time entrar num buraco grande demais em comparação ao Steelers e ainda reviver Baltimore. 2-0 coloca Cincy como favoritaço por uma vaga de wildcard e extremamente bem encaminhado para seguir no cangote (ou até na frente) do Steelers até os times se encontrarem na semana 17. Conheceremos em breve o Bengals real. 

10 – (8) Washington Cumpadis – 5-3

O líder de divisão mais enganador da NFL perdeu de uma forma que times enganadores geralmente perdem, de um rival talentoso porém mediano na temporada, em casa, e em uma partida que consolidaria sua liderança. A sorte para Washington é que Philly é a única real ameaça na divisão, o azar é que o próprio time é muito pouco confiável. A sequência com Buccaneers, Texans e Cowboys tem tudo para construir confiança no time ou ser a sequência que prova, de fato, que a liderança momentânea é só enganação.

11 – (12) Houston Texans – 6-3 

Seis vitórias seguidas dos Texans? Como esse time virou uma máquina? Por que não sobe mais no ranking? Veja bem, existe vencer e existe convencer. Os Texans estão vencendo e muitíssimo bem encaminhados para levar a AFC Sul, mas a equipe venceu Colts, Cowboys, Bills, Jaguars, Dolphins e Broncos por um combinado de 47 pontos, média de 7,8 pontos de vantagem por vitória e as únicas duas por mais de uma posse foram Jaguars por 13 e Dolphins por 19. Os Broncos na última rodada desistiram de avançar e tentaram um FG de 51 jardas, triunfos contra Dallas e Indy foram partos na prorrogação. Houston provavelmente leva a AFC Sul, mas esse time não é necessariamente bom.

12 – (13) Chicago Bears – 5-3 

Duas vitórias fáceis contra adversários não Patriots da AFC Leste colocaram Chicago na liderança da NFC Norte antes de confrontos decisivos contra o fraco Lions e o sólido Vikings. Chicago depende apenas de si até o final da temporada, e poderia estar em uma situação ainda melhor de não fosse a entregadas contra GB na semana 1 e Miami na semana 6, mas esse é o porém dos Bears. Me falta confiança nesse time e em Trubisky para acreditar que quando o caldo engrossar Chicago vai ter força para se sobressair.

13 – (15) Philadelphia Eagles – 4-4 

Washington perdeu, Dallas perdeu e Golden Tate chegou. Ótima semana para os Eagles que agora enfrentam um cambaleante Cowboys podendo nocautear o rival de divisão e renascer de vez na temporada. Ainda não acredito que os atuais campeões possam competir diretamente com Rams e Saints na conferência, mas será divertido de ver Philly tentar. Acho que se existe um time que hoje estaria fora dos playoffs que pode vir com tudo na segunda metade do ano são os Eagles. 

14 – (19) Atlanta Falcons – 4-4

O falcão virou fênix e ressurge na temporada com três vitórias consecutivas comandadas por um ataque avassalador (Julio Jones finalmente marcou um touchdown!) e uma defesa que, bem, segue muito ruim mas pelo menos tem segurado o ataque terrestre dos adversários nos últimos dois jogos. O restante da tabela de Atlanta tem apenas Saints e Panthers (que o time venceu na semana 2) como oponentes que possuem mais vitórias do que derrotas neste momento. Não seria nenhum absurdo esse time seguir ascendendo e arrancar uma vaguinha no wildcard da NFC.

15 – (14) Seattle Seahawks – 4-4 

Uma derrotinha para um time superior e os Seahawks voltam a realidade. Os Seahawks ainda tem 2 jogos contra San Francisco e um contra Arizona, mas o resto da tabela contém Rams, Panthers, Vikings, Chiefs e Packers. 8-8, provavelmente a campanha mais realista para esse time antes da temporada, segue como a realidade. Seattle dificilmente será massacrado por alguém, mas ainda falta para esse time realmente ser competitivo contra os melhores da liga. 

16 – (10) Baltimore Ravens – 4-5

Quatro derrotas nos últimos cinco jogos e Joe Flacco jogando como… Joe Flacco colocam Baltimore em uma situação crítica na temporada e também para o futuro da equipe, já que crescem os rumores que seguindo nesse ritmo John Harbaugh não deve ficar por lá até 2019. A semana de folga vem em boa hora para o time conseguir se reerguer, voltar aos básicos e descobrir alguma forma de salvar a temporada.

17 – (17) Green Bay Packers – 3-4-1

Falando em equipes com expectativas altas da torcida e um técnico campeão e há muito tempo no cargo que está com a posição ameaçada, conheçam o Green Bay Packers. Green Bay não vinha jogando bem quando vencia e isso custou caro contra Rams e Patriots, agora o time terá uma boa chance de se recuperar contra Dolphins e Seahawks mas o que o time realmente precisa é jogar bem e tirar o melhor de Aaron Rodgers, que deve estar cansado de meter o Noé e carregar um monte de animais. O lado bom da fase ruim é que, se continuar, pode sinalizar o final da era McCarthy. 

18 – (20) Miami Dolphins – 5-4 

Como esse time tem 5 vitórias em 9 jogos permanece um mistério, mas cá estamos. A defesa não vai forçar turnovers no ritmo que tem forçado (18 até agora) e Brock Osweiler é um desastre esperando para acontecer e por mais que o time espera que Tanehill volte após a semana de folga, não sabemos em que condição e nem por quanto tempo, já que o histórico de saúde dele – por mais que essa lesão tenha sido no ombro e não no joelho – preocupe bastante. Miami pode ser o Buffalo Bills de 2017 dessa temporada, mas o mais provável é que o time termine mal a temporada.

19 – (21) Tennessee Titans – 4-4

Após três derrotas extremamente frustrantes e preocupantes de Tennessee Mike Vrabel conseguiu usar a semana de folga para arrumar um pouco o time e voltou com uma sólida vitória contra os Cowboys fora de casa. Resta saber se esse triunfo vai ser mais uma enganação do time ou se os titãs usarão a vitória para crescer de vez na temporada, após uma honrosa derrota para os Patriots, é claro.

20 – (16) Jacksonville Jaguars – 3-5  

Quatro derrotas seguidas e um ataque que não passou dos 18 pontos em nenhuma delas. Os Jaguars estão vivendo o temor da torcida, uma temporada onde o ataque naufrague a equipe inteira. A folga veio em bom momento e o jogo contra os Colts na semana 10 é essencialmente uma partida de playoffs. Cair pra 3-6, com esse time, é melhor começar a pensar no draft por que não dá pra virar. Uma vitória e a torcida ainda pode sonhar.

21 – (18) Detroit Lions – 3-5

Matt Patricia está mais concentrado em criticar postura de jornalista do que em treinar seu time e o resultado está em campo. A troca de Golden Tate é inexplicável por mais que Marvin Jones e Golladay sejam bons recebedores, Tate é simplesmente diferente. Detroit já era um time de médio pra ruim, agora está pior e joga como tal. Esse time talvez roube um jogo de alguém ou incomode um adversário mais forte, mas no final das contas será mais uma temporada irrelevante dos Lions. 

22 – (27) Indianapolis Colts – 3-5

Tecnicamente os lanternas da divisão, os Colts são o time que tem mais motivos para sorrir da AFC Sul além do Texans. Foram duas vitórias (Raiders e Bills, mas vencer é vencer né) antes da semana se folga e a tabela de Indy apresenta apenas um time que nesse momento está acima dos 50%, o próprio Texans. Com Andrew Luck jogando o fino da bola e finalmente sendo bem protegido, vale a pena ficar de olho nesse time para as oito rodadas finais, quem sabe dá para cometer um crime dentro da AFC.

23 – (23) Dallas Cowboys – 3-5

Cada derrota para os Cowboys significa um passo mais perto do final da era Jason Garrett. Agora a temporada depende de vitórias contra Eagles e Falcons fora de casa antes de receber Washington, Saints e Eagles. A situação em Dallas pode se tornar um caos maior do que já está muito rapidamente e, sinceramente, Jerry Jones merece essa confusão por insistir em um técnico claramente incapaz.

24 – (22) Tampa Bay Buccaneers – 3-5   

Tampa é um dos grandes mortos vivos da temporada. Fitzpatrick vai deixar os jogos divertidos e ser menos frustrante que Winston (só por que a gente já espera uma montanha russa de emoções com Fitz). Os Glazers, se forem espertos (nada indica que são, seja em Tampa ou em Manchester) já devem começar a procurar um novo GM, um novo técnico e um novo quarterback.

25 – (26) Denver Broncos – 3-6 

Demitam Vance Joseph. Uma coisa é o técnico ser inexperiente, outra coisa é ele ativamente ir contra o melhor interesse do time e provavelmente custar vitórias. Joseph não ter feito um esforço maior para facilitar a vida do seu kicker no minuto final da partida contra os Texans é um crime. Ele parece ser a única pessoa mais perdida que John Elway em Denver. 

26 – (24) Cleveland Browns – 2-6-1

Sem Hue Jackson e Todd Haley as coisas permanecem meio que na mesma em Cleveland. Gregg Williams não é necessariamente um upgrade. Que os Browns pensem bem em quem será o próximo técnico do time por que em termos de talento a franquia poucas vezes esteve tão bem posicionada. O próximo head coach (não será Williams) será o mais importante desde o renascimento da franquia. 

27 – (25) New York Jets – 3-6

Falando em técnicos com dias contados, Todd Bowles não dá mais. NY não precisa demitir o cara agora, mas é bom que já estejam trabalhando em uma lista de candidatos com os Jets bem encaminhados para mais uma temporada sofrível e as performances de Sam Darnold cada vez mais preocupantes.

28 – (30) Arizona Cardinals – 2-6 

Se todo jogo fosse contra os 49ers Arizona iria para os playoffs, como não é a situação fica complicada. Minha única esperança é que esse time não acabe com o Rosen, que mesmo em circunstâncias adversas tem mostrado bom potencial. O plano pros Cardinals em 2019 tem que ser arrumar mais ajuda para o menino na linha ofensiva, corpo de recebedores e equipe técnica.

29 – (31) San Francisco 49ers – 2-7

Seria extremamente divertido de Nick Mullens jogasse muito bem as próximas partidas e os 49ers fossem para 2019 com dois quarterbacks interessantes. O mais provável é que tenha sido a combinação de um único jogo, o Oakland Raiders e Kyle Shanahan tenham produzido uma noite especial para o menino Mullens, mas a gente pode sonhar. 

30 – (28) Buffalo Bills – 2-7 

Tirem Nathan Peterman de campo. 

31 – (29) New York Giants – 1-7

Tirem Eli Manning de campo.

32 – (32) Oakland Raiders – 1-7 

O último a sair apague a luz. O retorno pela troca de Amari Cooper foi bom, mas isso não significa que os Raiders serão melhores no resto do ano. A saída de Bruce Irvin mostra que Gruden realmente acredita que para melhorar o pass rush ele precisa de menos pass rushers. Oakland é uma bagunça e Gruden só não está seriamente ameaçado por que o dono casou o time com ele pelo futuro próximo, mas até esse time mostrar sinais de vida a coisa será bem feia.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *