3 motivos para demitir Mike McCarthy

Desde 2006 em Green Bay, Mike McCarthy teve apenas duas temporadas negativas: Em 2008, quando terminou 6-10, e em 2017, com um retrospecto de 7 vitórias e 9 derrotas. Olhando friamente para os números é difícil defender o que propus no título deste texto, não é? Porém, números são feitos para serem analisados e entendidos, e por isso listei aqui 3 razões para os Packers mandarem o veterano treinador embora.

1) Com Brett Favre e Aaron Rodgers os resultados deveriam ser melhores.

8 temporadas com 10 vitórias ou mais, 9 idas aos playoffs sendo 8 de forma consecutiva além de 4 finais de conferência, tendo sido a última há 2 anos. Poucas equipes podem se dar ao luxo de ter tamanho desempenho, porém sabe quantas vezes os Packers tiveram a melhor ou segunda melhor campanha da NFC com McCarthy? Três. É muito pouco para quem teve sob sua asa não só um, mas dois dos maiores quarterbacks da atualidade e da história da liga. A título de comparação, os Patriots conseguiram o primeiro ou segundo lugar da AFC por 9 vezes no mesmo intervalo temporal, e Denver, com Peyton Manning, conseguiu nos 4 anos em que o jogador esteve por lá. O que isso quer dizer? Já entrar no divisional dá uma semana de descanso e preparação a mais e isso pode fazer toda a diferença, especialmente quando se tem um gênio como quarterback. Apenas dois times na NFL atualmente podem competir de igual pra igual em termos de talento na posição e isso deveria ser usado a favor de McCarthy, que poderia trabalhar em desenvolver tanto as peças ao redor de Rodgers, como especialmente ter um olhar mais profundo no lado defensivo do campo, que é justamente o segundo motivo para sua demissão.

2) A defesa é constantemente ruim

Foram apenas duas as oportunidades onde a defesa comandada por McCarthy esteve entre as 10 melhores da liga considerando números gerais. Em pontos cedidos foram três anos. Se compararmos estes números com os dos Patriots, no mesmo período de tempo, o abismo é colossal. Em números gerais New England esteve 5 vezes entre as 10 melhores defesas da liga, e em pontos cedidos foram 11. O comparativo tem ligação direta com o sucesso das equipes em termos de conquistas ao longo dos anos. Apesar do sistema contra o jogo corrido também ser ruim, o grande destaque negativo dos Packers é a consistência em desempenhos fracos contra o jogo aéreo. Nesse critério, foram 9 oportunidades onde o grupo contra o passe dos cabeças de queijo estiveram na metade de baixo da NFL quando se falou de touchdowns sofridos. É um número alarmante. Nos últimos três anos (sem contar 2018), Green Bay esteve entre os 5 piores times duas vezes. O culpado disso tinha nome e sobrenome: Don Capers. Coordenador defensivo da equipe entre os anos de 2009 e 2017, Capers teve toda a calma do mundo para ser constantemente ruim e isso pesa muito negativamente no trabalho de um head coach. Cabe ao treinador principal da equipe detectar os principais problemas e corrigí-los. Este é o trabalho, ou ao menos deveria ser, porque no caso dos Packers isso passou longe de acontecer neste intervalo de tempo. Defesas sólidas geram times extremamente competitivos. Drew Brees que o diga.

3) A relação com a estrela do time está estremecida

Por fim, onde há fumaça há fogo. Por mais que seja sempre negado um conflito entre Rodgers e McCarthy, esta é uma pauta já corriqueira nos veículos tanto de Wisconsin como de todo os Estados Unidos. Quando as críticas e exposições são públicas, deve se ligar o alerta, especialmente em quem toma as decisões e assina os cheques pelas bandas de lá. Em um duelo de forças eu iria de Aaron Rodgers sem hesitar. O camisa 12 nunca falhou em dar aquilo que é exigido dele e o mesmo não pode ser dito do veterano Head Coach. Novos ares para o QB é algo que, por mais que antes já tenha defendido anteriormente, não vejo mais acontecendo pelo momento da carreira do jogador, portanto o caminho mais saudável seria a mudança em todo o comando técnico dos Packers, quem sabe, com uma mente defensiva para organizar o que constantemente foi um problema na equipe.

Os Packers deveriam ser os Patriots da NFC. Talento na posição de quarterback eles tem, o que falta é organização tanto dentro de campo quanto fora dele. Uma organização que se deu ao luxo de ter Brett Favre e Aaron Rodgers em um espaço de mais de 20 anos não pode se contentar com apenas 2 títulos. É muito pouco.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *