O que esperar (mais?) de Mahomes em 2018?

Boa parte da temporada 2018 da NFL já se foi e Pat Mahomes fez jus as expectativas criadas para ele. Até as superou, inclusive. Hoje é um dos principais nomes na corrida para MVP e jogo após jogo vem surpreendendo positivamente.

Tudo bem que a partida contra os Rams no Monday Night Football serviu para ver que ainda existem passos a serem dados (e não são poucos) na evolução do jogador, isso é inegável, porém o impacto causado por este atleta no ataque dos Chiefs pode ser bem visualizado nos números abaixo:

Até aqui são 391 passes tentados com 264 completados (média de 67,5%), 3628 jardas, 37 touchdowns e 10 interceptações, sendo quatro no duelo contra Los Angeles. Cada passe de Mahomes dá 9,3 jardas de avanço para os Chiefs. É uma influencia crucial para os rumos da equipe na temporada.

Mas com o ano de 2018 chegando ao fim, o que podemos esperar do quarterback em termos de resultados? Fiz uma projeção baseado nos números de Patrick até aqui e, mantendo este ritmo frenético, o QB terminará o ano com 5.277 jardas e 53 touchdowns. Isso o deixaria respectivamente nos postos de número 3 e 2 na história da NFL considerando uma temporada regular.

Em jardas lançadas ficaria atrás das 5.477 e 5.476 de Manning (2013) e Brees (2011) e em touchdowns apenas Manning estaria à frente, com 55, número que o futuro hall da fama conseguiu em 2013 por Denver.

É um feito histórico, especialmente por ser um atleta de segundo ano. Dá, inclusive, muitos créditos para uma premiação de MVP. Seria completamente justificável e merecido que o prêmio fosse dado a ele.

Inclusive, ser o jogador mais valioso da liga é algo que muito provavelmente veremos Mahomes conseguir, se não for este ano, nos próximos. Talento não falta, e somado a isso está em uma comissão técnica totalmente confiável e capaz de extrair o melhor do atleta. Isso era sabido antes mesmo do início da temporada. Andy Reid tem em seu currículo grandes trabalhos com Brett Favre, Donovan McNabb e Alex Smith. A tendência, especialmente pelas características do QB ex-Texas Tech, era de que o sucesso ocorresse, mais cedo do que tarde.

Um ponto importante na evolução de um quarterback é a comissão técnica ao seu redor. Não existe fórmula para o sucesso, é uma combinação de fatores, e a combinação entre atleta e treinador precisa acontecer. Quando isso acontece, o crescimento é natural e mais acelerado do que em cenários não tão salutares. Só nessa temporada temos dois exemplos nítidos disso: Mitchell Trubisky e Jared Goff, além, claro, do QB dos Chiefs.

Que Kansas City entenda a importância do veterano Head Coach no desenvolvimento do seu quarterback e que o trabalho continue por bons anos a frente. Andy Reid, inclusive, é um dos treinadores que mais merecem um Super Bowl e as vezes, muito por não ter, é subvalorizado.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *