NFL Draft 2019 – QB Jarrett Stidham

Jarrett Stidham teve uma carreira de andarilho no College Football. Foi recrutado em 2015 por Baylor, onde atuou em 3 partidas como titular, com uma média de 68,8% dos passes completados para 1264 jardas, 12 touchdowns e apenas 2 interceptações. Seu maior destaque foi contra Kansas State, onde terminou com 419 jardas e 3 TDs, sem ser interceptado. Stidham foi reserva de Seth Russell e só viu ação devido a lesão do QB titular. Para a tristeza do jogador, entretanto, contra Oklahoma State também se lesionou. No ano seguinte Russell voltou e com isso Jarrett iria retornar à posição de reserva, fato que fez o atleta procurar outros rumos.

Em 2016 foi colocado como jogador redshirt na McLennan Community College, onde, apesar de não entrar em campo, foi considerado o atleta número 1 do país em Junior College.

Florida, Texas A&M e Auburn brigaram pelo atleta, que decidiu jogar pelos Tigers. Sua elegibilidade iria voltar no ano seguinte, 2017.

Em seu primeiro na SEC, Stidham teve 3158 jardas lançadas em 370 passes tentados (66,5% de acerto), 18 touchdowns e 6 interceptações. Podendo ir para o draft em 2018 em uma classe repleta de talentos, o novo QB de Auburn decidiu que seria melhor jogar mais um ano no futebol americano universitário.

Jarrett entraria 2018 como um dos favoritos na corrida pelo Heisman, porém seu desempenho foi inferior ao de 2017, deixando uma pulga atrás da orelha. Stidham foi pior em porcentagem, jardas, jardas por tentativa e rating, tendo praticamente mantido o mesmo número de TDs e interceptações (em 2018 teve 1 a menos que em 2017).

Melhor jogo: Purdue, no Music City Bowl, onde terminou o jogo com 5 TDs aéreos, nenhuma interceptação e 71% dos passes completados, sendo considerado o MVP da partida.

Pior jogo: Alabama, onde teve 43% dos passes completados e errou vários passes. Ok que em alguns os erros foram claramente dos receivers, mas mesmo assim, várias oportunidades o QB falhou em executar, coisa que conseguiu fazer por exemplo contra Georgia, mesmo sem marcar ponto.

Um fato curioso: Todas as interceptações de Stidham foram contra defesas da SEC (2 contra LSU, 2 contra Tennessee e 1 contra Bama). Passou zerado contra Big 10, C-USA, Independents e Pac-12.

Ao meu ver a decisão dele de não jogar o último ano no College foi acertada. Digo isso, pois em 2019 haverá uma competição maior, com mais talentos, e isso poderia gerar problemas em termos de posição no draft para o quarterback, coisa que já vai acontecer em 2018 devido ao ano inconstante. O ponto fundamental é que ele precisa de trabalho e desenvolvimento. Não imagino ele entrando em campo na próxima temporada na NFL, nem a curto prazo, mas em uma comissão técnica competente, ele pode almejar espaço.

Minha aposta pré-combine: Será selecionado na terceira ou quarta rodada do draft.

Melhores opções de equipes: Oakland, Cincinnati e Chargers

Oakland: O fato de Derek Carr ter um contrato longo pelos Raiders (até 2021) dá a segurança para Gruden e comissão técnica trabalhar um reserva. Teria que competir por uma vaga de 3º QB no momento e aí pensar em crescer.

Cincinnati: Situação é que Andy Dalton é o QB titular até o momento e os reservas são Jeff Driskel e Tom Savage. É um cenário parecido com o do Raiders. Dependendo da situação nos Bengals e do seu desempenho, pode ir crescendo e sonhar com alguma chance eventualmente.

Chargers: Aqui é uma situação interessante. Rivers tem contrato até o final de 2019 e claramente está vendo os últimos momentos de sua sólida carreira como QB. É hora dos Chargers pensarem em transição e sobrando em escolhas baixas do draft, seria interessante trabalhar um atleta como Stidham no banco, sem chances de entrar, e avaliar se vale a pena o investimento na sequência.

Outras opções interessantes: Tampa Bay, Miami e Buffalo

Cenário em Tampa Bay e Miami é parecido, tem os QBs titulares em situação de questionamento. Se evoluir rapidamente pode sonhar em ganhar a vaga. Já em Buffalo, o futuro ainda é Josh Allen, apesar de eu ter uma opinião já formada e exaustivamente falada sobre isso. Não custa nada, entretanto, ter um reserva para trabalhar como QB3.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *