Analisando o Draft – NFC Sul

Chegamos a NFC Sul, uma das divisões mais competitivas da NFL na última década (com exceção do Buccaneers) e que possui três franquias que, independente de seus defeitos, tem como objetivo claro levantar o troféu Vince Lombardi.

Atlanta Falcons

1 (14). Boston College OG Chris Lindstrom
1 (31). Washington OT Kaleb McGary
4 (111). Ohio State CB Kendall Sheffield
4 (135). Charleston DT John Cominsky
5 (152). Pittsburgh RB Qadree Ollison
5 (172). Washington CB Jordan Miller
6 (203). Louisiana-Monroe WR Marcus Green

Matt Ryan foi quietamente excelente na temporada 2018 e o GM Thomas Dimitroff apostou em facilitar ainda mais a vida do seu quarterback. Dito isso, eu não gostei a forma que foi feita. Chris Lindstrom com a 14ª escolha foi uma forçada de barra, e Dimitroff perdeu muito na troca para voltar a primeira rodada e selecionar Kaleb McGary.

Esse foco excessivo na linha ofensiva limitou as opções do time para seus outros problemas: cornerbacks e linha defensiva. Kendall Sheffield e John Cominsky, as escolhas da equipe na quarta rodada (que também vieram em trocas para cima) podem se desenvolver em bons atletas, mas são mais projetos do que atletas que vem fortes para tapar os buracos e serem titulares imediatos. Atlanta executou muito bem um de seus planos em detrimento dos outros, e isso não é o ideal.

Nota: 6,0

Carolina Panthers

1 (16). Florida State DE Brian Burns
2 (37). Ole Miss OT Greg Little
3 (100). West Virginia QB Will Grier
4 (115). Alabama DE Christian Miller
5 (154). Florida RB Jordan Scarlett
6 (212). South Carolina OT Dennis Daley
7 (237). Georgia WR Terry Godwin

Os Panthers são a maior montanha russa da NFL e 2019 foi um ano na descendente. A saúde de Cam Newton é uma incógnita e os dois maiores problemas do time são nas duas linhas. Brian Burns tem a explosão para causar um impacto imediato e Greg Little, considerado pelos Panthers como melhor OL do draft, veio após uma troca cara (Carolina cedeu a pick #77) mas deve ancorar o lado esquerdo da linha ofensiva.

Will Grier já é o melhor reserva do time em anos e é um bom plano B caso a saúde de Cam Newton venha a ser problema. Christian Miller foi um bom valor no 4º round e pode ajudar Burns a revigorar o pass rush enquanto Jordan Scarlett só caiu para a quinta rodada por problemas extra campo, tendo talento para contribuir quando Christian McCaffrey precisar de um descanso.

Nota: 7,5

New Orleans Saints

2 (48). Texas A&M C Erik McCoy
4 (105). Florida S Chauncey Gardner-Johnson
6 (177). Rutgers S Saquan Hampton
7 (231). Notre Dame TE Alize Mack
7 (244). Idaho LB Kaden Elliss

São duas temporadas consecutivas com derrotas traumáticas nos playoffs para o Saints e Drew Brees não está ficando mais jovem. De brinde, New Orleans não teve uma escolha na primeira rodada pela questionável troca para adquirir Marcus Davenport no último draft. A franquia geralmente trata o draft como se não existisse futuro, e isso se provou mais uma vez com o time mandando uma escolha de 2ª rodada em 2020 para subir e fazer sua primeira escolha.

Levando tudo isso em conta,  a equipe ainda conseguiu adquirir um bom grupo de jovens talentos que podem contribuir rapidamente. Erik McCoy e Chauncey Gardner-Johnson foram boas escolhas que preenchem necessidades e devem causar impacto imediato em um elenco que, francamente, não tem muitos buracos. Teria sido legal ver algum bom wide receiver escolhido já que o grupo dos Saints é limitado, mas quem sabe Alize Mack possa surpreender como opção na posição de tight end.

Nota: 7,0

Tampa Bay Buccaneers

1 (5). LSU LB Devin White
2 (39). Central Michigan CB Sean Bunting
3 (94). Auburn CB Jamel Dean
3 (99). Kentucky S Mike Edwards
4 (107). Iowa DE Anthony Nelson
5 (145). Utah K Matt Gay
6 (208). Bowling Green WR Scott Miller
7 (215). Missouri DT Terry Beckner

Bruce Arians chegou para tentar dar nova vida a franquia, como fez em Arizona, e também ao QB Jameis Winston, que terá mais uma chance para provar que é o futuro em Tampa. Dito isso, em termos de talento as principais necessidades dos Bucs claramente estavam na defesa, e o draft de 2019 mostra que o GM Jason Licht sabia disso.

Devin White é o melhor linebacker dessa classe a não ser que você prefira Devin Bush, mas ao contrário do Steelers Tampa não teve que fazer nenhuma troca por White, que também era uma necessidade óbvia do time. Sean Bunting foi um pequeno reach, mas ele, Jamel Dean e Mike Edwards formam um pacotão para tentar dar alguma vida para uma das piores secundárias da NFL.

Licht tem que parar de draftar kickers, não eu certo das outras vezes e, em geral, não vale a pena. Para um time com tantos buracos gastar uma escolha, mesmo que de quinta rodada, com um kicker, é um desperdício. Fora isso, uma boa classe que imediatamente melhora a defesa do time.

Nota: 7,5

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *