Analisando o draft – AFC Leste

New England Patriots

» Round 1: (No. 32 overall) N’Keal Harry, WR, Arizona State.
» Round 2: (45) Joejuan Williams, CB, Vanderbilt.
» Round 3: (77) Chase Winovich, DE, Michigan; (87) Damien Harris, RB, Alabama; (101) Yodny Cajuste, OT, West Virginia.
» Round 4: (118) Hjalte Froholdt, OG, Arkansas; (133) Jarrett Stidham, QB, Auburn.
» Round 5: (159) Byron Cowart, DE, Maryland; (163) Jake Bailey, P, Stanford.
» Round 7: (252) Ken Webster, CB, Mississippi.

Nota: 7,0

A seleção do wide receiver N´Keal Harry foi celebrada em muitos locais, mas não enxergo tanto desta forma. Acredito, como escrevi aqui, ser um talento que pode contribuir, mas não em grande impacto. Entretanto, quando Bill Belichick acredita em alguém, você tem que dar o crédito de confiança, o cara sabe como garimpar talentos e extrair o melhor deles. As escolhas de Joejuan Williams, Damien Harris e especialmente Chase Winovich merecem destaque.

Outro nome interessante é o de Byron Cowart, Defensive End de Maryland. Escrevi sobre ele há anos no meu antigo blog (link aqui) e é um atleta que acompanho desde a High School. Está na equipe certa para desenvolver seu jogo. Com calma pode contribuir futuramente.

 

Buffalo Bills

» Round 1: (No. 9 overall) Ed Oliver, DT, Houston.
» Round 2: (38) Cody Ford, OT, Oklahoma.
» Round 3: (74) Devin Singletary, RB, Florida Atlantic; (96) Dawson Knox, TE, Mississippi.
» Round 5: (147) Vosean Joseph, LB, Florida.
» Round 6: (181) Jaquan Johnson, S, Miami.
» Round 7: (225) Darryl Johnson, edge, North Carolina A&T; (228) Tommy Sweeney, TE, Boston College.

Nota: 9,0

Como falei na minha participação no podcast (link aqui) o Buffalo Bills foi, junto com o Jacksonville Jaguars, os dois times que mais gostei da seleção de atletas via draft. Ed Oliver, Cody Ford e Devin Singletary podem impactar imeditamente. Mesmo com LeSean McCoy, Frank Gore e T.J.Yeldon no time, consigo enxergar Singletary ganhando espaço. Outro destaque positivo é o tight end Dawson Knox. Buffalo precisava de peças no recrutamento que elevassem o status do time nessa divisão que já conta com New England dominante e um Jets emergente. Fez muito bem o trabalho.

 

Miami Dolphins

» Round 1: (No. 13 overall) Christian Wilkins, DT, Clemson.
» Round 3: (78) Michael Deiter, OG, Wisconsin.
» Round 5: (151) Andrew Van Ginkel, LB, Wisconsin.
» Round 6: (202) Isaiah Prince, OT, Ohio State.
» Round 7: (233) Chandler Cox, FB, Auburn; (234) Myles Gaskin, RB, Washington.

Nota: 7,0

Se contar com a aquisição de Josh Rosen, esta nota aumenta para 7,5, mas Miami teve uma nota boa especialmente pela primeira escolha. Christian Wilkins é um daqueles talentos que tem tudo para impactar por anos e anos na NFL. Pode ser uma das referências na posição. Foi menos falado do que deveria no processo de recrutamento, mas tem capacidade de ser um dos líderes dos Dolphins. Michael Deiter também pode contribuir. Olho em Myles Gaskin correndo por fora como opção de running back.

 

New York Jets

» Round 1: (No. 3 overall) Quinnen Williams, DT, Alabama.
» Round 3: (68) Jachai Polite, DE, Florida; (92) Chuma Edoga, OT, USC.
» Round 4: (121) Trevon Wesco, TE, West Virginia.
» Round 5: (157) Blake Cashman, LB, Minnesota.
» Round 6: (196) Blessuan Austin, CB, Rutgers.

Nota: 7,0

Aposto alto nos Jets nesta temporada, mas no draft eles não foram tão bem quanto eu esperava. Quinnen Williams é o melhor DT desta classe, e um dos melhores jogadores de todo o draft, mas esperava a aquisição de Josh Allen. A aposta em Jachai Polite pode render bons frutos, pois acredito na capacidade de Gregg Williams de extrair o melhor dele. É um atleta que vem com uma grande interrogação para o nível profissional, mas é talentoso.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *