O Browns é uma bomba relógio.

Torci bastante para que Odell Beckham Jr fosse para Cleveland já na temporada passada. A reunião com Jarvis Landry tem potencial para ser algo interessante e, somado a isso, para a ascensão de Baker Mayfield como uma possível estabilidade na posição de QB, seria fundamental ter peças ao redor dele que entregassem resultados. E este cenário existe para 2019, e não só com os wide receivers. Nick Chubb e especialmente Kareem Hunt podem contribuir e muito. Isso sem falar em outras peças como Duke Johnson, Antonio Callaway e David Njoku. Nunca o Browns esteve tão em alta. E aí que mora o perigo.

A última vez que Cleveland teve um recorde positivo foi em 2007. Antes disso havia sido 2002, onde conseguiram pela última vez ir aos playoffs. Eric Mangini, Pat Shurmur, Rob Chudzinski, Mike Pettine e, claro, Hue Jackson, falharam. O que isso quer dizer? Fãs, imprensa e analistas em geral podem criar expectativas demais em um time que ainda está em fase de maturação.

Não, os Browns não são um dos favoritos ao título do Super Bowl, nem da AFC, diga-se de passagem. Sonhar com playoffs é algo palpável, mas ainda sim podem ocorrer tropeços no caminho. Freddie Kitchens nunca teve experiência como Head Coach (e não considerava a melhor escolha para a posição). Baker está entrando no seu segundo ano, tradicionalmente um ano complicado para QBs, e Odell…bem, Odell é uma das maiores divas da história dos esportes, todos nós sabemos disso.

O que eu quero dizer? O Browns tem vários motivos para dar certo, mas só precisa de um para não dar certo. O time é uma bomba relógio, que se explodir pode causar danos e deixar a franquia na posição que sempre ficou desde o seu retorno. Ou você acha que OBJ não irá cobrar passes em sua direção? Que não irá se frustrar em dividir carregadas com tantos outros talentos? E o jogador é um dos principais personagens para explodir essa bomba.

É só relembrarmos da declaração que ele deu no mês passado:

“Meu plano é ficar aqui em Cleveland pelos próximos cinco anos e ajudar a trazer tantos campeonatos quanto puder, transformando o Browns no novo Patriots”. Disse o jogador à revista GQ.

Impressionante como basicamente tudo nessa frase é controverso. Primeiro: O plano dele, ele deixa claro, é ficar cinco anos. Qual jogador deixa claro quanto tempo vai ficar em uma equipe? Cinco anos pode parecer muito tempo, mas na NFL, não é tanto assim. Só lembrar que em 2014 o Denver Broncos era um dos principais times da Liga, hoje sequer foi aos playoffs. Além do mais, não só pelo lado de longevidade, mas prometer cinco anos é dar a palavra que até 2023 ele não sairá do Browns. Ele pode garantir isso? Não mesmo.

Na sequência ele fala algo que põe ainda mais o Browns com um alvo nas costas: “ajudar a trazer tantos campeonatos quanto puder”.

Ok, todo treinador e jogador tem que ter aspirações, e nada melhor do que vencer títulos, mas uma equipe carente de vitórias em temporada regular não pode viver a ilusão que será uma dinastia com tantos títulos. Um passo de cada vez. Quanto maior o salto, maior pode ser o tombo.

Por fim, a pérola: “Transformando o Browns no novo Patriots”.

Eu ri quando li isso. Porque para o Browns ser um novo Patriots, não serão 5 anos de trabalho, mas pelo menos 15. Vale ressaltar que o time de Foxborough já está nessa há quase 2 décadas. Ou seja, segura a emoção, Odell, que para chegar no Patriots, vocês precisam primeiro vencer um título. Não se aprende a correr antes de engatinhar.

No papel ofensivamente e defensivamente o time tem bons nomes. Pode trazer resultados. Gosto muito de Cleveland e torço demais que os tempos de glória voltem, mas cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

Compartilhar

1 thought on “O Browns é uma bomba relógio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *