Time dos 100 anos da NFL – Running Backs

Walter Payton

Selecionado na primeira rodada do draft de 1975 pelo Chicago Bears, Walter Payton indiscutivelmente é o maior jogador da história da tradicional franquia. Ao longo de 13 temporadas pela equipe, foram 16726 jardas corridas, 110 touchdowns, gerando uma média de 4,4 jardas por carregada. Payton não era só dominante com as pernas, mas recebendo passes também. Foi líder da liga em toques e em jardas totais (quando se soma corridas com passes recebidos) em duas oportunidades, e em apenas 3 temporadas não ultrapassou a barreira das 1.500 jardas.

Fez parte de uma das melhores gerações da história dos Bears, que culminou com o título no Super Bowl XX, coroando ainda mais sua brilhante carreira.

Foi uma vez MVP, uma vez jogador ofensivo do ano e por 5 vezes esteve no primeiro time All-Pro, isso sem falar nas 9 nomeações para o Pro Bowl, jogo das estrelas. Terminou sua carreira sendo o líder em jardas corridas, sendo superado apenas por Emmitt Smith anos depois.

É membro do Hall da Fama da NFL desde 1993.

Emmitt Smith

O cara que superou o recorde de Walter Payton muitas vezes é subvalorizado devido a eficiência da linha ofensiva dos Cowboys naquele timaço dos anos 90, mas a verdade é que precisa muito mais que sorte para conseguir 18.355 jardas ao longo de 15 temporadas na NFL. MVP, 4x All-Pro primeiro time, 8x Pro Bowl e uma vez jogador ofensivo do ano, além claro, dos 3 títulos. Emmitt liderou a liga em jardas por 4 oportunidades e por 3 em touchdowns. O fato mais importante: Em 9 e em 10 temporadas esteve entre os 10 primeiros nos respectivos critérios. Consistente e eficiente, teve seus melhores anos entre 1992 e 1995, onde foi consecutivamente para o primeiro time All-Pro e por três vezes liderou em jardas e em TDs. Sua única temporada abaixo das 900 jardas foi em 2003, onde atuou por apenas 5 partidas devido a lesão. Foi uma das peças importantes daquela dinastia do Dallas e muitas vezes seu talento não é tão apreciado quando se deveria.

Barry Sanders

Tecnicamente há quem o trate como o melhor. O running back dos Lions fazia coisas que arregalavam os olhos e carregou uma franquia nas costas por muito, mas muito tempo. Foram 10 temporadas pela equipe de Detroit, onde liderou a liga em jardas 4 vezes, ficando entre os 10 primeiros em todas as temporadas, e duas vezes em touchdowns. Por seis vezes foi nomeado para o primeiro time All-Pro, ficando em segundo nas outras quatro. Seu pior ano em números foi 1993, quando teve 1115 jardas e 3 TDs em 11 partidas. Nos demais, sempre passou da barreira das 1300 jardas. Foi MVP da temporada de 1997 e jogador ofensivo do ano em duas oportunidades. Faz parte do time da década de 1990 e sua camisa 20 é aposentada pela equipe de Detroit. Simplesmente brilhante. Foi indicado ao Hall da Fama na classe de 2004.

Por fim, um dos maiores dilemas que tive nesse time dos 100 anos da NFL: Qual seria o quarto running back? Pensei em Marshall Faulk, LaDainian Tomlinson, Eric Dickerson, Adrian Peterson e alguns outros. Não foi fácil, foi no detalhe, mas decidi por LT.

E explico.

Tomlinson conseguiu alguns feitos impactantes. É um dos poucos running backs da história da liga a conseguir 100 recepções ou mais, em 2003, liderou a liga 2 vezes em jardas corridas (2006 e 2007) e três em touchdowns corridos (2004, 2006 e 2007), tendo ficado entre os 10 primeiros em 8 e 9 temporadas respectivamente. Foi MVP de 2006, além de jogador ofensivo do ano e faz parte do primeiro time da década de 2000. É o líder em touchdowns corridos em uma temporada, com 28. Feito esse, inclusive, que cada vez mais parece ser difícil de ser batido, já que o melhor desempenho nesta década foi de LeGarrette Blount, em 2016, quando teve 18. Neste mesmo ano também se isolou na primeira posição em touchdowns totais, onde se contabiliza tanto corrido quanto recebido. Foram 31, três a mais que o segundo colocado, Shaun Alexander. Outro feito cada vez mais improvável de ser superado.

É o sexto em jardas corridas e carregadas e segundo em touchdowns. Faltou um título, e chegou bem perto em 2007, mas ao mesmo tempo foi pouco para um timaço apenas uma final de Conferência. Nada disso, entretanto, impede de dizer que LT foi um dos maiores da história do esporte.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *