• Mateus Fernandes

Análise do Draft da AFC Norte

Confira o que achamos das escolhas de Bengals, Browns, Ravens e Steelers


CINCINNATI BENGALS

O Cincinnati Bengals não ganha uma partida nos playoffs desde 1990. Este homem tem a missão de mudar isso.

O Bengals está reconstruindo. Felizmente para a franquia, a escolha mais fácil da última década estava na frente deles. Mike Brown e Duke Tobin foram presenteados com um quarterback que simplesmente amassou recordes universitários em 2019, garantindo o troféu Heisman e levando LSU a um título nacioal: Joe Burrow. A única dúvida em relação a Burrow é que ele teve apenas essa temporada como algo significativo e produtivo no nível universitário, nesse mesmo período do ano passado ele não era considerado um dos principais prospecto, mas fora essa dúvida o QB é considerado o melhor a sair da universidade desde Andrew Luck.

"Todo mundo pode opinar. Todos estavam na mesma página. Foi uma concordância universal, basicamente, nessa reunião. Sem dúvidas. Sem detratores. Esse é o cara (Burrow) que o grupo inteiro vê como o número 1" - Duke Tobin

Dito isso, um Burrow só não faz verão, e os Bengals ainda tinham muito a resolver em seu elenco com as demais escolhas. Os Bengals não fizeram grandes movimentações ou foram agressivos, como é tradição da franquia, apenas esperaram sua vez e selecionaram os atletas, conseguindo bons nomes dessa forma.


Tee Higgins foi a primeira escolha da segunda rodada, o grande wide receiver de Clemson vem para ser o número 2 e complementar AJ Green logo de cara, dando mais um alvo talentoso e alto para Burrow. Depois de dar uma nova arma para seu QB, Tobin e Brown foram atrás de resolver o maior problema dos Bengals: linebackers.


Logan Wilson e Akeem Davis-Gaither devem ao menos brigar por minutos relevantes ou até mesmo titularidade logo de cara, mas já representam uma melhora pelo menos em profundidade do grupo posicional que tem sido um buraco na defesa de Cincinnati nos últimos anos.


Não tinha como piorar muito, mas o Cincinnati Bengals sai com um time claramente superior do que o que tinha antes desse draft.

Nota: 🏈🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos Bengals:

1º Round

Escolha#1 - Joe Burrow - QB - LSU

2º Round

Escolha #33 - Tee Higgins - WR - Clemson

3º Round

Escolha #65 - Logan Wilson - LB - Wyoming

4º Round

Escolha #107 - Akeem Davis-Gaither - LB - Appalachian State.

5º Round

Escolha #147 - Khalid Kareem - DE - Notre dame

6º Round

Escolha #180 - Hakeem Adeniji - OT - Kansas

7º Round

Escolha #215 - Markus Bailey - LB - Purdue

Não esqueça! Principais aquisições na Free Agency

D.J. Reader (DT - Texans); Vonn Bell (S - Saints); Xavier Su'a-Filo (OG - Cowboys); Mackenzie Alexander (CB - Vikings); Trae Waynes (CB - Vikings)

Rookies não draftados.

Devwah Whaley - RB - Arkansas; Scotty Washington - WR - Wake Forest; Marcel Spears Jr. - LB - Iowa State; Josh Knipfel - OT - Iowa state; Trey Dishon - DT - Kansas State; Clay Cordasco - OG - Oregon State; Tyler Clark - DT - Georgia; Mitchell Wilcox - TE - South Florida; Isaiah Swann - CB - Dartmouth; Kendall Futrell - LB - Eastern Carolina; Jacques Patrick - RB - Florida State

CLEVELAND BROWNS

Jedrick Wills chega com a missão de ajudar Baker Mayfield a superar um 2019 decepcionante.

2019 deveria ter sido o ano dos Browns, mas foi mais uma temporada decepcionante e, com ela, mais mudanças em Cleveland. Kevin Stefanski é o novo head coach e Andrew Berry se tornou o mais novo GM da liga. No primeiro draft dessa dupla, uma missão: tapar os buracos de um time talentoso e criar um elenco que finalmente dê o próximo passo.

"Nós tentamos olhar para cada um desses jogadores individualmente e como eles operavam em seus ambientes universitários, com as coisas que eles podiam controlar" -Andrew Berry

O primeiro passo dessa nova fazer foi com Jedrick Wills, tackle de Alabama que chega para fazer o que fez na universidade: proteger o lado cego de seu quarterback. Claro que, com Tua Tagovailoa isso significava ser right tackle e com Baker significa jogar no lado esquerdo da linha, mas com Jack Conklin do lado direito Wills deve mesmo ficar na esquerda.


No segundo round Berry conseguiu um ótimo valor em Grant Delpit, o safety de LSU poderia facilmente ter saído no primeiro dia. Ele é excelente na proteção e só caiu por que as vezes tem problemas sérios para tacklear, algo que pode ser ensinado pelos técnicos. Mas o melhor valor dessa classe talvez venha do sexto round, com o WR Donovan Peoples-Jones, ele tem ótimo potencial e com um pouco de refinamento pode até mesmo virar um titular no futuro.


Berry apostou em jogadores de universidades renomadas, piso alto e ótimo potencial se sua equipe técnica limpar alguns detalhes. Somando isso ao talento já existente e ao dinheiro gasto em free agents, esse é mais um ano onde a expectativa em Cleveland, se baseando apenas no elenco, deve ser alta. Agora é buscar os resultados em campo.


Nota: 🏈🏈🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos Browns:

1º Round

Escolha #10 - Jedrick Wills - OT - Alabama

2º Round

Escolha #44 - Grant Delpit - S - LSU

3º Round

Escolha #88 - Jordan Elliott - DT - Texas

Escolha #97 - Jacob Philiips - LB - LSU

4º Round

Escolha #115 - Harrison Bryant - TE - Florida Atlantic

5º Round

Escolha #160 - Nick Harris - C - Washington

6º Round

Escolha #187 - Donovan Peoples-Jones - WR - Michigan


Não esqueça! Principais aquisições na Free Agency

Austin Hooper (TE - Falcons); Jack Conklin (OT - Titans); Case Keenum (QB - Washington); Adrian Clayborn (DT - Falcons); Karl Joseph (S - Raiders); Andrew Billings (DT - Bengals); Kevin Johnson (CB - Bills); Andrew Sendejo (S - Vikings).


Rookies não draftados.

A.J. Green - CB - Oklahoma State; Solomon Ajayi - LB - Liberty; Jameson Houston - CB - Baylor; Jeffrey Whatley - DT - South Alabama; Kevin Davidson - QB - Princeton.

BALTIMORE RAVENS

Patrick Queen terá a responsabilidade de tapar o únco buraco do melhor time da temporada regular de 2019

As vezes ser bom exige um pouquinho de sorte, e isso aconteceu com o Baltimore Ravens quando Patrick Queen caiu no colo da equipe. Foi o casamento perfeito entre o melhor jogador disponível e a necessidade do tamanho de um C.J. Mosley. A 28ª escolha talvez tenha sido a mais fácil para Eric DeCosta, mas ele não parou aí, se aproveitando do grande número de escolhas do time, especialmente no segundo dia, para reforçar o que já era um elenco top-5 da NFL.

"Esses grandes jogadores caiam no draft e nós pegávamos eles. Você tem que se preparar para isso e, quando acontecer, você tem que estar preparado para escolher o cara” -Eric DeCosta, sobre o que aprendeu com Ozzie Newsome

Queen não foi o único linebacker selecionado por Baltimore, Malik Harrison não é tão veloz e não tem a capacidade de cobertura de Queen, mas provavelmente será titular ao seu lado, com um pouco mais de força para segurar o jogo terrestre dos ataques adversários. Falando em complementos, J.K. Dobbins vem para ser a segunda opção, e eventual substituto, do trintão Mark Ingram. O running back de Ohio State tem a força para correr entre os tackles e também contribui para o jogo aéreo.


Basicamente todas as escolhas de Baltimore foram de alto valor, com atletas que poderiam muito bem ter saído antes nesse draft. Alguns torcedores podem criticar a falta de investimento das principais escolhas em wide receivers, mas o ataque de Baltimore não é tão dependente dessa posição e tanto Devin Duvernay e James Proche, apesar de serem as escolhas número 92 e 201, respectivamente, foram ultra produtivos em suas carreiras universitárias e com um pouquinho de desenvolvimento podem contribuir bastante.


Outra necessidade era para o meio da linha ofensiva, graças a aposentadoria de Marshall Yanda. Nesse caso, Tyre Phillips e Ben Bredeson vem para o banco enquanto Baltimore busca profundidade e competição para essa vaga, ao invés de buscar um substituto direto, já que substituir um jogador do nível de Yanda não é fácil, e talvez nem possível. No geral, mais uma classe sólida, com atletas que podem contribuir imediatamente e a longo prazo, buscando extrai o melhor valor de cada escolha.

Nota: 🏈🏈🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos Ravens:

1º Round

Escolha #28 - Patrick Queen - LB - LSU

2º Round

Escolha #55 - J.K. Dobbins - RB - Ohio State

3º Round

Escolha #71 - Justin Madubuike - DT - Texas A&M

Escolha #92 - Devin Duvernay - WR - Texas

Escolha #98 - Malik Harrison - LB - Ohio State

Escolha #106 - Tyre Phillips - OL - Mississipi State

4º Round

Escolha #143 - Ben Bredeson - OG - Michigan

5º Round

Escolha #170 - Broderick Washington - DT - Texas Tech

6º Round

Escolha #201 - James Proche - WR - SMU

7º Round

Escolha #219 - Geno Stone - S - Iowa


Não esqueça! Principais aquisições na Free Agency

Calais Campbell (DL - Jaguars); Derek Wolfe (DL - Broncos); D.J. Fluker (OT - Seahawks);


Rookies não draftados.

Eli Wolf - TE - Georgia; Trystan Colon-Castillo - C - Missouri; John Daka - DE - James Madison; Tyler Huntley - QB - Utah; Dom Maggio - P - Wake Forest; Jacob Breeland - TE - Oregon.

PITTSBURGH STEELERS

O Steelers tem um grande histórico na seleção e desenvolvimento de WRs, agora é a vez de Chase Claypool

A escolha de primeira rodada do Steelers em 2020 foi Minkah Fitzpatrick, uma excelente seleção, mas que não faz parte dessa classe. Sem essa escolha, Kevin Colbert e Mike Tomlin tiveram um arsenal reduzido para fortalecer uma equipe que, apesar de vir de duas temporadas decepcionantes, sonha em competir por mais um Super Bowl.

"Fisicalidade é o estilo de futebol americano que queremos jogar, independente da posição. Quando você consegue alguns recebedores que mostram esse estilo, isso é animador" - Mike Tomlin

O draft do Steelers foi peculiar, entre dois jogadores de Maryland, e um número de seniors maior que o costume, tudo isso se iniciou com um wide receiver que alguns consideravam que podia se mudar para tight end, o alto e forte Chase Claypool.


Apesar do histórico positivo do Steelers com a posição, escolhas recentes como James Washington e Diontae Johnson ainda não mostraram o suficiente e JuJu Smith-Schuster sofreu com sendo o principal alvo e ainda mais com a falta de um QB competente em 2019. Claypool é mais um membro desse corpo muito jovem de recebedores, que ainda não é uma realidade, mas se todos evoluírem em 2020 pode ser muito assustador.


A verdade é que Claypool talvez seja o único titular dessa classe. Alex Highsmith pode entrar em certas situações no corpo de linebackers, McFarland no máximo será o reserva imediato de James Conner e Kevin Dotson talvez tenha uma chance como left guard, mas o que o Steelers mais precisava era de competição para a ponta direita da linha ofensiva.


Talvez tenha faltado para o Steelers a agressividade dos últimos anos. A mesma que deu ao time Devin Bush e Minkah Fitzpatrick. Essa classe até atacou os poucos pontos que realmente precisavam de reforço no elenco, mas neste momento parece ter adicionado alguma profundidade, mas muito pouco impacto imediato. Não é o suficiente para quem busca estar entre os melhores da liga.

Nota: 🏈🏈🏈

Todas as escolhas dos Steelers:

2º Round

Escolha #49 - Chase Claypool - WR - Notre Dame

3º Round

Escolha #102 - Alex Highsmith - LB - Charlotte

4º Round

Escolha #124 - Anthony McFarland - RB - Maryland

Escolha #135 - Kevin Dotson - OG - Louisiana-Lafayette

6º Round

Escolha #198 - Antoine Brooks - S - Maryland

7º round

Escolha #232 - Carlos Davis - DT - Nebraska


Não esqueça! Principais aquisições na Free Agency

Eric Ebron (TE - Colts); Derek Watt (FB - Chargers); Stefen Wisnieski (OG - Chiefs); Chris Wormley (DT - Ravens)


Rookies não draftados.

James Pierre - CB - Florida Atlantic; Corliss Waitman - P - Mississippi State; Calvin Taylor - DE - Kentucky; Josiah Coatney - DE - Mississippi; John Houston - LB - USC; Leo Lewis - LB - Mississippi State; Christian Montano - OG - Tulane; Spencer Nigh - FB - Auburn; Spencer Lockhart - DE - Baylor; Trajan Bandy - CB - Miami

45 Jardas

  • Facebook
  • Twitter
  • Spotify
  • Apple Music

© 2020 by 45 Jardas

Newsletter 45 Jardas