• 45 Jardas

Análise do Draft da NFC Oeste

Confira o que achamos das escolhas de 49ers, Seahawks, Rams e Cardinals


ARIZONA CARDINALS

Isaiah Simmons caiu no colo dos Cardinals na oitava escolha do Draft

Para um time que tinha pouquíssimas escolhas, os Cardinals foram letais com as duas que possuíam. Isaiah Simmons caiu no colo da equipes na oitava escolha. E o clube sabe muito bem disso. O GM Steve Keim deixou claro após o draft que acreditava que o atleta de Clemson sairia no top 5 do Draft e comemorou muito após o draft.


"Poder escolher ele (Simmons) com a oitava escolha foi muita sorte nossa" - Steve Keim

Esolher Simmons tornou-se uma decisão que não precisava ser muito pensada. Apesar de várias ofertas de trocas e poder escolher os melhores tackles disponíveis, os Cardinals não poderiam deixar um talento desse passar. A decisão se mostrou acertada e a sorte sorriu novamente para a equipe.


No segundo dia do Draft, a equipe do técnico Kliff Kingsbury teve a chance de escolher Josh Jones (OT - Houston) em uma posição bem improvável na maioria dos mock drafts. O futuro protetor de Kyler Murray era cotado como um dos melhores tackles do Draft e poderia ter saído até na primeira rodada. Contudo, caiu até a terceira rodada e os Cardinals também não deixaram passar esse talento para a principal necessidade da equipe.


Nos rounds seguintes o objetivo foi dar mais profundidade a defesa e ainda apostaram em Eno Benjamin, um running back que pode dar o que falar se Kenyan Drake ou Chase Edmonds derem espaço.




Nota: 🏈🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos Cardinals

1º Round

Escolha #8 - Isaiah Simmons - LB/S - Clemson


3º Round

Escolha #72 - Josh Jones - OT - Houston

4º Round Escolha #114 - Leki Fotu - DT - Utah

Escolha #131 - Rashard Lawrence - DT - LSU


6º Round

Escolha #202 - Evan Weaver - ILB - California


7º Round Escolha #222 - Eno Benjamin - RB - San Diego State


Não esqueça! Principais aquisições na Free Agency

Jordan Philips (DT - Bills), Devon Kennard (OLB - Lions), De'Vondre Campbell (OLB - Falcons) e DeAndre Hopkins (troca com os Texans)


Rookies não draftados.

Sirgeo Hoffman (HB - Portland State), Jonathan Ward (HB - Central Michigan), Jermiah Braswell (WR - Youngstown State), Shane Leatherbury (WR - Towson), Rashad Medaris (WR - Cincinnati), Devin Phelps (WR - Shepard), JoJo Ward (WR - Hawaii), Ryan Becker (TE- SMU), Parker Houston (TE - San Diego State), Jake Benzinger (OL - Wake Forest), Jackson Dennis (OL - Holy Cross), Drew Dickinson (OL - Findlay), Steven Gonzalez (OL - Penn State), T.J. Carter (DL - Kentucky), Adam Shuler (DL - Florida), Reggie Walker (LB - Kansas State),

Zane Lewis (CB - Air Force), Jace Whittaker (CB - Arizona), Jarren Williams (CB - Albany), Bejour Wilson (CB - Liberty) e Reggie Floyd (S - Virginia Tech).

SAN FRANCISCO 49ERS

Kinlaw terá a responsabilidade de continuar o domínio dos 49ers nas trincheiras

O San Francisco 49ers tinha duas escolhas no primeiro round e passaria a sexta-feira assistindo os outros times escolherem. Só voltaria ao Draft no sábado. Situação que criava uma expectativa por trocas para ter mais opções no segundo ou terceiro round. Isso não aconteceu, mas é impossível dizer que John Lynch e Kyle Shanahan não fizeram um bom trabalho. Com a troca com os Colts, que mandou DeForest Buckner para Indianápolis, era esperado que wide receiver fosse a prioridade. Contudo, a escolha de Kinlaw mostrou que o foco era seguir sendo dominante na linha defensiva e, em uma classe que não tinha tanto talento que valesse uma escolha de primeiro round, o produto de South Carolina foi a escolha de Lynch e Shanahan.


“Kyle e eu realmente acreditamos que uma linha defensiva é algo importante para uma liga que tudo é montado para os ataques serem bem sucedidos. Um dos modos de equalizar isso é ir atrás do quarterback e derrubá-lo. Nós montamos uma boa unidade aqui e queremos manter essa força. Por isso pensamos que ele (Kinlaw) se encaixa" - John Lynch

Para escolherem Kinlaw, os 49ers trocaram de posição com os Bucs e ainda ganharam uma escolha de quarto round (117ª). A equipe de Tampa Bay ainda levou uma escolha de 7º round (245ª), mas a troca seria importante para outro movimento.

Com a segunda escolha era bem óbvio que um recebedor seria o alvo mais lógico, mas com as saídas de Ruggs (Raiders), Jeudy(Broncos), Lamb (Cowboys), Reagor (Eagles) e Jefferson (Vikings), John Lynch se mexeu. Aquela escolha obtida com os Buccaneers foi somada a mais duas (31ª e 176ª) para que os 49ers assumissem a 25ª posição e draftassem o atleta que desejavam desde o começo. Brandon Aiyuk. Um atleta que Shanahan está apaixonado há muito tempo e que o técnico chegou a sugerir que usassem a 13ª escolha para ter o atleta.


Além do primeiro dia ser ótimo para os 49ers, o grande movimento da equipe nos dois dias seguintes ocorreu no sábado, quando o clube chegou a um acordo com os Redskins para contratar o offensive tackle Trent Williams. O time de San Francisco mandou a 156ª escolha de 2020 e sua escolha de 3º round de 2021 para ter Williams. A troca foi feita porque o tackle Joe Staley anunciou no sábado que estava se aposentando.

As escolhas de Colton McKivitz (OL - West Virginia) e de Charlie Woerner foram feitas pensando exclusivamente no jogo corrido. O tackle tem tudo para ser deslocado para a posição de guard, já que foi utilizado assim no seu terceiro ano em West Virginia e Woerner falou que foi um dos melhores bloqueadores do futebol americano universitário. Para fechar, o wide receiver Jauan Jennings (Tennessee) foi a última escolha dos 49ers e a aposta aqui é no que ele pode fazer com as bolas nas mãos e não por conta de velocidade.


Nota: 🏈🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos 49ers

1º Round

Escolha #14 - Javon Kinlaw - DT - South Carolina

Escolha #25 - Brandon Aiyuk - WR - Arizona State


5º Round

Escolha #153 - Colton McKivitz - OT/G - West Virginia


6º Round

Escolha #190 - Charlie Woerner - TE - Georgia

7º Round

Escolha #217 - Januan Jennings - WR - Tennessee


Principais aquisições na Free Agency

Tom Compton (G - Jets), Kerry Hyder (DE - Cowboys), Travis Benjamin (WR - Chargers), Joe Walker (ILB - Cardinals), Trent Willians (troca com os Redskins)


Rookies não draftados

Jared Mayden (DB - Alabama), DeMarkus Acy (CB - Missouri), Jonas Griffith (LB - Indiana State), Darrion Daniels (DL - Nebraska), Chase Harrell (TE/DE - Arkansas), Chris Finke (WR - Notre Dame), Josh Hokit (FB - Fresno State), JaMycal Hasty (RB - Baylor), Salvon Ahmed (RB - Washington), Broc Rutter (QB - North Central) e Ronnell Perkins (S - Missouri).


LOS ANGELES RAMS

Cam Akers chega com a responsabilidade de substituir Todd Gurley

Sabe aquela história de vencer agora? Os Rams abraçaram essa ideia há duas temporadas. Chegaram ao Super Bowl. Foi um sucesso se a meta era chegar ao Super Bowl, mas o objetivo não foi totalmente alcançado após a derrota decepcionante contra os Patriots. Mas para chegar lá o investimento foi alto e o preço está sendo pago agora. Ainda mais quando você não escolhe tão bem.


Equipes não são formadas exclusivamente através do Draft. Vários fatores contribuem. Free Agency, rookies não draftados e renovar com os atletas certos. Mas você sabe que o primeiro round pode ser a base de um time. Aaron Donald são provas disso para os Rams. Uma parte da fórmula que eles deixaram de lado há algum tempo. Os Rams estão sem escolher na primeira rodada desde 2016 porque preferiram investir em trocas para ter outros jogadores. Tudo começou com a troca para ter Goff em 2016. Para sair da 15ª posição para a 1ª, os Rams pagaram alto. Além de uma primeira, duas segundas e uma terceira escolha naquele ano, o time ainda mandou as suas primeira e terceira escolhas de 2017 para os Titans.


Em 2018, os Rams enviaram a primeira e sexta escolha para os Patriots e receberam Brandin Cooks, um wide receiver #1, na equipe. A esperança era que a escolha de 2019 fosse finalmente usada, mas escolher na 31ª não era tão atraente na visão do GM Les Snead. Ainda mais quando os Falcons colocaram uma 45ª e uma 79ª escolha na mesa. Ao menos em 2020 não houve frustração já que a troca pela escolha da primeira rodada ocorreu no meio da temporada 2019. Jalen Ramsey está em Los Angeles justamente porque a 20ª escolha geral foi para Jacksonville.


"Em algum momento que você escolhe - e isso aconteceu hoje - há um momento que seu quadro pode ditar que você faça algo ou fazer um plano B diferente do que você queria" - Les Snead

Sabendo que o time poderia escolher suas necessidades nos rounds seguintes, ainda mais com duas escolhas no segundo e no terceiro round, os Rams fizeram o contrário. Jogadores de linha ofensiva e linebackers eram as maiores necessidades e elas só foram "atendidas" com as escolhas de terceira e sétima rodada. Um sinal de que o foco em Los Angeles mudou.

Com tantos problemas com o espaço salarial, perda de jogadores importantes (Gurley e Cooks),com várias mudanças na comissão técnicas e incertezas em várias posições, o clube saiu do modo vencer agora para pensar no futuro.


Akers será um bom substituto para Gurley. Van Jefferson pode ser uma resposta para jogar ao lado de Cooper Kupp. Mas quem vai proteger Goff? Quem ajudará Aaron Donald na defesa? Muitas dúvidas para um time que poderia ter adicionado um troféu Lombardi a sua galeria há dois anos.


Nota: 🏈🏈


Todas as escolhas dos Rams:

2º Round

Escolha #52 - Cam Akers - HB - Florida State

Escolha #57 - Van Jefferson - WR - Florida


3º Round

Escolha #84 - Terrel Lewis - Edge - Alabama

Escolha #104 - Terrell Burgess - S - Utah


4º Round

Escolha #136 - Bryce Hopkins - TE - Purdue


6ª Round

Escolha #199 - Jordan Fuller - DB - Ohio State


7º Round

Escolha #234 - Clay Johnston - LB - Baylor

Escolha #248 - Sam Sloman - PK - Miami (Ohio)

Escolha #250 - Tremayne Anchrum - OT/G - Clemson


Principais aquisições na Free Agency

A'Shawn Robinson (DT - Lions) e Leonard Floyd (LB - Bears)


Rookies não draftados Josh Love (QB - San Jose State), Bryce Perkins (QB - Virginia), James Gilbert (HB - Kansas State) Xavier Jones (HB - SMU), Earnest Edwards (WR - Maine), Brandon Polk (WR - James Madison), Trishton Jackson (WR - Syracuse), J.J. Koski (WR - Cal Poly), Easop Winston (WR - Washington State), Cohl Cabral (OL - Arizona State), Eric Banks (DL - UT San Antonio), Mike Hoecht (DL - Brown), Sam Renner (DL - Minnesota), Jonah Williams (DL - Weber State), Greg Reaves (LB - South Florida), Christian Rozeboom (LB - South Dakota), Juju Hughes (DB - Fresno State), Dayan Lake (DB - BYU), Tyrique McGhee (DB - Georgia) e Levonta Taylor (DB - Florida State).


SEATTLE SEAHAWKS

A escolha de Jordyn Brooks não agradou os torcedores de Seattle

Desde 2015, os Seahawks escolhem um jogador de linha defensiva com uma as suas escolhas do primeiro ou segundo round. Uma tradição. Isso foi mantido com a escolha de Darrel Taylor (DE - Tennessee) no segundo round. A grande surpresa foi ver Jordyn Brooks (LB -Texas Tech) sair no primeiro round. Uma escolha que não agradou a torcida, mas que era inquestionável dentro da franquia. Tanto o GM John Schneider, como o técnico Pete Carroll estavam apaixonados por Brooks.

"Pegamos o melhor jogador do nosso quadro. Estamos realmente empolgados em adicionar uma pessoa dura e ótima. Ele é o nosso tipo de cara" - John Schneider

A escolha de Brooks surpreendeu todos na NFL. Até pegou o atleta de surpresa. Sem ser cotado oara sair no primeirou round, Brooks estava na sua casa em Dallas, cozinhando com a família, quando o telefone tocou. Ele não acreditou quem estava ligando. "Eu não falava com eles (Seahawks) desde o combine, por isso realmente não esperava que me escolhessem aqui. Estou muito agradecido e empolgado com a chance de jogar em Seattle", contou o atleta a Sports Illustrated.


Esse draft também mostrou outro lado dos Seahawks. A necessidade eterna de jogadores de linha ofensiva deve ter sido preenchida na visão de Schneider porque logo após finalizar o draft, no qual apenas o guard Damien Lewis foi selecionado, o center Kenny Britt e o guard D.J. Fluker foram cortados para abrir mais espaço salarial para a equipe.


O restante das escolhas teve como objetivo ajudar Russell Wilson, seja com o jogo corrido ou com armas para de mais profundidade ao elenco, e dar profundidade ao pass rush. Tanto Taylor como Robinson são apostas para o futuro e ambos mostraram que podem ser explosivos se forem bem trabalhados. Escolhas que podem ser uma espécie de seguro para uma queda de rendimento de Clowney, que deve finalmente assinar após os movimentos do último fim de semana. Apesar do draft dos Seahawks não chamar tanta a atenção, o histórico de escolhas pede um pouco de paciência. Ótimos nomes já surgiram na equipe em escolhas de terceiro e quarto round e Carroll e Schneider dão sinais que continuam acreditando nisso.


Nota: 🏈🏈🏈


Todas as escolhas dos Seahawks:

1º Round

Escolha #27 - Jordyn Brooks - LB - Texas Tech


2º Round

Escolha #48 - Darrell Taylor - Edge - Tennessee


3º Round

Escolha #69 - Damien Lewis - G - LSU


4º Round

Escolha #133 - Colby Parkinson - TE - Stanford

Escolha #144 - Deejay Dallas - HB - Miami


5º Round

Escolha #148 - Alton Robinson - Edge - Syracuse


6º Round

Escolha #214 - Freddie Swain - WR - Florida


7º Round

Escolha #251 - Stephen Sullivan - TE/WR - LSU


Principais aquisições na Free Agency

Brandon Shell (T - Jets), Finney (C - Steelers), Greg Olsen (TE - Panthers), Benson Mayowa (DE - Raiders), Cedric Ogbuehi (T - Jaguars), Philip Dorsett (WR - Patriots) e Bruce Irvin (OLB - Panthers).


Rookies não draftados Anthony Gordon (QB - Washington State), Dominick Wood-Anderson (TE - Tennessee), Patrick Carr (HB - Houston), Eli Mencer (LB - Albany), Gavin Heslop (CB - Stony Brook), Kemah Siverand (CB - Oklahoma State), Anthony Jones (HB - Florida International), Seth Dawkins (WR - Louisville), Josh Avery (DE - Southeast Missouri), Tyler Mabry (TE - Maryland), Chris Miller (S - Baylor), Marcus Webb DT - Troy) e Aaron Fuller (WR - Washington).


45 Jardas

  • Facebook
  • Twitter
  • Spotify
  • Apple Music

© 2020 by 45 Jardas

Newsletter 45 Jardas