• Mateus Fernandes

Power Rankings: Semana 14



Mais uma rodada cheia de surpresas, teve quarterback calouros fazendo estreia, defesa carregando time para a vitória, mais problemas de QB na NFC leste, o campeão passando sufoco em Miami e muito mais, incluindo um clássico que foi o melhor jogo da temporada até aqui. Bom, sem mais delongas, vamos ao ranking:

1 (1) - Kansas City Chiefs - 12-1

O Chiefs com Mahomes está 8-1 em jogos que o time fica pelo menos 10 pontos atrás no placar. Isso não é nem um pouco sustentável, o resto da NFL vence 16% dessas partidas para se ter uma ideia, mas eu também não duvido desse ataque. O jogo contra Miami foi um belo susto, que não deve se repetir por que é um time que protege muito bem a bola, mas deve ser reconfortante para o torcedor ver que, até nas piores das situações, o placar é revertido em poucos minutos.

2 (3) - Buffalo Bills - 10-3

Vitória maiúscula dos Bills em um jogo que começou muito difícil, com turnovers na primeira etapa, mas gradualmente virou dominante, com uma pick-six da defesa e um Josh Allen maduro e quase imparável no segundo tempo. Bons times exploram as fraquezas dos adversários e foi isso que Buffalo vez contra os Steelers. Se conseguir manter esse nível de atuação podem ser a maior ameaça para os Chiefs na conferência.

3 (4) - Green Bay Packers - 10-3

A defesa segue suspeita enquanto o ataque e Aaron Rodgers seguem primorosos. Essa é a tomada do Packers durante toda a temporada e contra o Lions não foi muito diferente. Uma coisa que vale salientar é que o time cometeu 12 faltas durante a partida, o que ajudou Detroit a ficar próximo no placar, algo que não pode se repetir na pós temporada. Dito isso, o que importa é que, no momento, Green Bay tem a melhor campanha da NFC e uma semaninha de folga.

4 (6) - Los Angeles Rams - 9-4

O Rams é um time completo, e contra os Patriots mostraram isso. O jogo terrestre encaixou bem, com Cam Akers assumindo o protagonismo dessa vez e a defesa foi sólida, especialmente nas terceiras e quartas descidas, cedendo apenas 3 conversões em 16 tentativas do adversário. Vitória dominante e para dar moral de Los Angeles.

5 (2) - New Orleans Saints - 10-3

Perder para o Eagles com um QB calouro fazendo sua estreia como titular não dá. Esse jogo mostrou as limitações do ataque com Taysom Hill, que chegou até a funcionar no segundo tempo, mas sem a força necessária para conseguir tirar 17 pontos de desvantagem. O placar também foi ajudado por um turnover dos Eagles no final da partida. Problemas ofensivos já eram esperados, mas o que surpreendeu foi como a defesa levou um baile pelo chão, cedendo mais de 240 jardas para o adversário.

6 (5) - Pittsburgh Steelers - 11-2

O ataque do Steelers é previsível, os recebedores desaprenderam a segurar um passe e a defesa, por melhor que seja, está sofrendo com lesões chave constantemente. Os Bills são um adversário duríssimo, mas 1 de 10 em terceira descida é inconcebível, e o mais problemático é que, enquanto a maioria dos bons times está melhorando, o Steelers parece ir no caminho oposto, e é difícil enxergar como isso vai melhorar.


7 (7) - Cleveland Browns - 9-4

É duro falar que Cleveland jogou como nunca e perdeu como sempre, por que sim, os Browns perderam, mas existem sinais positivos. Em um jogo onde a corrida só encaixou de verdade na redzone, Baker conseguiu conduzir o ataque em várias oportunidades contra uma defesa agressiva, tirando uma desvantagem de 14 pontos no placar e transformando em virada graças a agressividade de Stefanski (e as "cãibras" de Lamar). A defesa preocupa muito, mas creio que o torcedor dos Browns possa sair cautelosamente otimista desse jogo, apesar do resultado.

8 (8) - Tennessee Titans - 9-4

Quando Henry tem um jogo monstruoso, com 215 jardas terrestres, e A.J. Brown segue dominante pelo ar, as coisas ficam bem mais fáceis. Boa vitória para o time recuperar a sua moral, mas Tennessee precisa seguir firme e buscar respostas para a defesa, que segue não passando muita confiança.

9 (9) - Tompa Bay Buccaneers - 8-5

Esse jogo foi mais próximo do que o placar indica, com Minnesota conseguindo 27 primeiras descidas e quase 40 minutos de posse, mas os erros do rival e sacks providenciais da defesa, somados a algumas jogadas explosivas do ataque, transformaram o jogo em uma vitória razoavelmente tranquila dos Bucs. Resultado essencial no que, ao que tudo indica, era o jogo mais crucial do time até o final da temporada.

10 (10) - Indianapolis Colts - 9-4

Nenhum turnovers, mais de 200 jardas terrestres, Rivers em um dia inspirado e uma defesa que cedeu jardas, mas segurou o oponente na redzone e forçou turnovers. O jogo contra o Raiders foi uma espécie de melhor versão dos Colts. Vai ser difícil manter esse nível contra adversários melhores, mas se conseguir, Indianápolis vira um time bem mais perigoso.

11 (11) - Seattle Seahawks - 9-4

12 (12) - Baltimore Ravens - 8-5 Uma vitória suada, maiúscula e necessária. Alguns problemas ainda se mantém, como Lamar errando alvos livres em profundidade, coisa que não acontecia em 2019, WRs dropando bolas (alô Hollywood Brown) e uma defesa esfacelada por lesões. Dito isso, vimos o ataque explosivo como no ano passado e um time que lutou até o final em uma partida complicadíssima, contra um Browns que estava dando tudo dentro de campo. Temporada salva, agora resta fazer o dever de casa contra um calendário bem mais favorável.

13 (13) - Miami Dolphins - 8-5

Miami lutou bravamente e teve uma chance de ouro de surpreender o mundo contra os Chiefs, mas um ataque sem armas, com OL frágil e u QB inexperiente limitou o time no primeiro tempo. Enquanto isso, KC se recuperava e abrira uma vantagem que Miami até tentou reverter, mas já era tarde demais. Jogo que pode deixar o torcedor otimista, mas que também mostra que ainda falta talento para esse time ser verdadeiramente competitivo na AFC.

14 (17) - Arizona Cardinals - 7-6

Ao contrário do Seahawks, que espalhou a farofa contra o lado azul de NY, Arizona venceu com tranquilidade, liderado por 5 sacks de Haason Reddick e três fumbles recuperados. O ataque nem precisou ter um de seus melhores dias, apenas controlando o relógio e caminhando tranquilamente para a vitória. Recuperação necessária dos Cards ajudada pelo tropeço dos rivais na briga pelo wildcard.

15 (15) - Minnesota Vikings - 6-7 Minnesota fez um jogo muito duro contra Tampa, mas com Dan Bailey entrando em colapso a situação ficou ainda mais difícil do que já seria. A linha ofensiva também pouco ajudou, fazendo Cousins ser pressionado o jogo inteiro e o QB não conseguiu se livrar da bola rápido o suficiente para evitar os sacks, especialmente em terceiras descidas. Uma boa oportunidade jogada fora, mostrando que os Vikings tem problemas demais para resolver.


16 (14) - New England Patriots - 6-7

O Patriots é um time ruim que é bem treinado, isso é o suficiente para conseguir alguns bons resultados, mas contra times bons e bem treinados a coisa fica bem mais complicada. Foi o que vimos contra os Rams, que correu como quis na defesa Patriots e pressionou Cam e Stidham até não dar mais.

17 (16) - Las Vegas Raiders - 7-6

O jogo contra os Colts estava bem equilibrado, um tiroteio lá e cá, até que veio o segundo tempo e os Raiders chutaram field goals de 25 e 27 jardas enquanto Indy marcou touchdowns, e aí veio uma pick-six de Derek Carr só para fechar o caixão. Podemos falar do ataque e das decisões de Jon Gruden, que merecem ser criticados, mas a defesa dos Raiders é simplesmente ridícula, e deixou os Colts fazerem o que queriam.


18 (18) - Washington Football Team - 6-7

A maldição dos quarterbacks da NFC Leste continua, com Alex Smith saindo lesionado no intervalo do jogo. Isso não interferiu muito na partida por que o ataque do Time de Futebol pouco fazia em campo, e a vitória veio graças aos esforços de Chase Young e companhia, mas fica ligado o sinal de alerta para as próximas partidas. Com Haskins a situação se complica ainda mais.


19 (24) - Chicago Bears - 6-7

Um jogo sem nenhuma importância real por que esse time não vai para os playoffs, mas prejudica a posição de Chicago para o draft e faz alguns otários voltarem a cair no conto do velho Truba. Vencer é bom, mas até quando Chicago domina um adversário fica a sensação de que isso talvez não tenha sido o melhor para o time a longo prazo.

20 (20) - San Francisco 49ers - 5-8

O ataque dos 49ers deu dois touchdowns de bandeja para o adversário. SF dominou a partida, ou foi superior, em basicamente todos os números, mas seus três turnovers viraram dois TDs diretamente, e essa versão do 49ers não tem força para superar isso, especialmente contra uma boa defesa. O time lutou bravamente o ano inteiro, mas agora parece que oficialmente a temporada acabou.

21 (26) - Denver Broncos - 5-8

Quando Drew Lock encaixa é muito bonito de ver por que o garoto tem um talento incrível no braço. Foi um jogo de igual para igual contra os Panthers, mas Denver aproveitou melhor as oportunidades e Lock e os WRs estavam inspirados nas bolas um pouco mais profundas. Vitória não muda muito a situação do time, mas pode ser um passo para uma equipe mais equilibrada.

22 (19) - Carolina Panthers - 4-9

Por melhor que Jeremy Chinn esteja jogando, uma andorinha só não faz verão, e a defesa do Panthers levou bomba atrás de bomba de Drew Lock e companhia. Junte isso ao special teams que cedeu um retorno de punt para touchdown e um ataque que, apesar de bom, segue com a mania de chutar field goals curtos, e você tem uma derrota em uma partida que deveria ter sido vencida.

23 (22) - Detroit Lions - 5-8

O Lions até que lutou bravamente, carregando o empate até o intervalo com uma boa atuação de Stafford. Mas após um terceiro quarto onde o time não teve a bola por nem 2 minutos e Green Bay transformou suas longas posses em touchdown, a vaca deitou. Para piorar, Stafford saiu lesionado enquanto Detroit tentava voltar para a partida, e pode desfalcar o time nas próximas rodadas.


24 (29) - Philadelphia Eagles - 4-8-1

Hurts não foi completamente espetacular, mas ele foi sólido e bem decidido, além de impulsionar o jogo terrestre contra uma das melhores defesas da liga. Isso é mais do que o suficiente para o calouro manter a titularidade por enquanto e para reviver Philadelphia na temporada. Agora resta ver se essa qualidade dura, ou se foi apenas uma miragem.

25 (27) - Los Angeles Chargers - 4-9

No duelo dos "entregadores" o Chargers até tentou espalhar a farofa mais uma vez com um final de primeiro tempo ridículo e Herbert devolvendo uma interceptação de Ryan, mas o Falcons foi mais forte e o calouro levou seu time a virada no final da partida. Isso não muda muita coisa sobre o Chargers, que ainda deveria considerar seriamente substituir Anthony Lynn.

26 (21) - New York Giants - 5-8 Com Daniel Jones longe dos 100% o Giants não teve chance nenhuma contra Arizona. Cinco fumbles, três recuperados pelo oponente e menos de 160 jardas de ataque não vão levar a vitória nunca. Uma oportunidade desperdiçada e que faz Washington assumir a liderança. Se o lado ofensivo continuar desse jeito é difícil ver o Giants chegando nos playoffs.

27 (23) - Houston Texans - 4-9

Deshaun Watson pode, ocasionalmente, carregar o time nas costas mas, como todo grande quarterback, não vai dar para fazer isso sempre, ainda mais contra uma defesa forte. Isso aconteceu contra Chicago e resultou no Texans sendo completamente demolido por um adversário que, se também não é bom, tem muito mais talento, especialmente na defesa. Para Houston resta juntar os cacos e seguir em frente.

28 (28) - Dallas Cowboys - 4-9 Quando o seu adversário te oferece oportunidades bons times tem que aproveitar. Dallas não é um bom time, mas transformou os três fumbles que forçou nos Bengals em 17 pontos, um deles graças a um retorno de 78 jardas de Aldon Smith. O ataque também transformou turnovers on downs do oponente em mais 10 pontos para fechar de vez a partida. Vitória importante que não muda muito a percepção sobre esse time, mas o mantém vivo na briga pela NFC Leste.

29 (25) - Atlanta Falcons - 4-9

Falcons e Chargers foi tudo o que se esperava de Falcons e Chargers. Muitas pataquadas, erros e os dois times tentando entregar no final. Graças a interceptações em campanhas seguidas de Matt Ryan, intercaladas por uma de Herbert, Atlanta levou mais esse revés para casa. Não tem muito o que dizer aqui, os Falcons são quem achamos que eles são.

30 (30) - Cincinnati Bengals - 2-10-1 Andy Dalton teve a sua "vingança" mas foi o ataque de Cincinnati que entregou isso para o Rifle Ruivo, com três fumbles perdidos no primeiro tempo, um deles na redzone do adversário. Esses três turnovers e nove faltas transformaram o que poderia ter sido uma partida competitiva em uma lavada dos Cowboys.

31 (31) - Jacksonville Jaguars - 1-12

O Jaguars nunca teve uma chance real nessa partida. O ataque até melhorou após a volta do Jardineiro Fiel mas não tinha muito o que Minshew pudesse fazer. Derrick Henry mais uma vez fez o que quis, passando das 200 jardas corridas e a defesa também mal pressionou Tannehill. A única coisa ruim pra Jacksonville é que o Jets segue perdendo.

32 (32) - New York Jets - 0-13 "Um passo a frente e você não está mais no mesmo lugar" - Chico Science Cada derrota para o Jets é um passo um pouquinho mais próximo de Trevor Lawrence.

LEMBRETE: Sim, eu odeio especificamente o seu time e supervalorizo os rivais, qualquer reclamação pode mandar através do twitter ou, ainda melhor, apoia a gente e participa do grupo do Clube 93 (ah, e a posição da semana anterior está entre parênteses).

45 Jardas

  • Facebook
  • Twitter
  • Spotify
  • Apple Music

© 2020 by 45 Jardas

Newsletter 45 Jardas